se – Myanmar e Indonésia (Bali e Gili)

Myanmar e Indonésia (Bali e Gili) – Saída Com Guia Brasileiro

 15 dias / 14 noites – 25 out a 08 nov / 15

Embarque em uma viagem rica em cultura, mistério e beleza natural. Os dois países asiáticos que compõem esse roteiro exibem a força de suas tradições e raízes, a começar por Myanmar, que permaneceu fechada ao turismo durante décadas, agora nos convida a vivenciar o que tem de melhor a oferecer – paisagens pintadas com inúmeros templos e pagodas a perder de vista, uma cultura expressa em diversas tribos e etnias (fortemente presente às margens do Lago Inle) e uma natureza ainda pouco explorada. Já na Indonésia, a ilha de Bali é a mais famosa e turística. Localizada no arquipélago de Sonda, a 3Km da Ilha de Java, Bali é considerada a joia das 17.000 ilhas que a Indonésia possui. Mística e mágica, cheia de praias deslumbrantes com areia branca no sul e areia preta vulcânica no norte do país, encantam desde banhistas a surfistas profissionais de todo o mundo. A ilha também é envolvida com outras maravilhas naturais como os cinematográficos campos de arroz, pontos de mergulho de “tirar o fôlego” devido à riqueza da vida marinha da região, vulcões que proporcionam vistas belíssimas, além de inúmeros templos exóticos e uma rica e intrigante cultura demonstrada pela simpatia de seu povo encantador. A maioria da população balinesa é hindu, mas há uma pequena quantidade de muçulmanos, sobretudo na costa. A religião faz parte da essência de Bali e desperta a curiosidade. Todos os dias os balineses preparam oferendas para os deuses. Enfim, Bali, com sua cativante e hipnótica beleza, oferece opções para todos os gostos. Além de Bali, nosso objetivo nesse roteiro é conhecer as Ilhas Gili (Gili Trawangan, Gili Meno e Gili Air), três ilhotas que ficam na costa noroeste de Lombok e possui tudo que um bom arquipélago tem de ter: areia branquinha, mar azul piscina e por do sol incrível. Nosso conselho: faça suas malas e venha conferir!

ROTEIRO:

Legenda para refeições: C – café da manhã / A – almoço / Lt – lanche de trilha / J – jantar

1º dia – YANGON – Pernoite em Yangon.
2º dia – YANGON / BAGAN (C,J) – City tour em Bagan (Gubyaukgyi, Htilominlo e Ananda), visita a uma loja de objetos em laca e por do sol do topo de um dos templos. Jantar no Amata Boutique House com apresentação de dança. Pernoite em Bagan.
3º dia – BAGAN – MT POPA – BAGAN (C) – Visita ao Mt Popa, ao templo Taung Kalat, a uma vila que cultiva palmeiras (açúcar mascavo) e à vila de Salay. Pernoite em Bagan.
4º dia – BAGAN / HEHO – LAGO INLE (C) – Visita ao Monastério Shwe Yaunghwe Kyaung, à Phaung Daw Oo Pagoda e ao templo em Nga Hpe Kyaung. Pernoite no Lago Inle.
5º dia – LAGO INLE (C) – Visita ao mercado flutuante de 5 dias, à Pagoda Inndein, à vila Nampan local, à vila Inn Paw Khone e passeio de canoa. Pernoite no Lago Inle.
6º dia – LAGO INLE – HEHO / YANGON (C) – Visita à Sule Pagoda, ao mercado Bogyoke, ao Chaukhtatkyi (Buda deitado) e à Shwedagon Pagoda. Pernoite em Yangon.
7º dia – YANGON / DENPASAR – LEGIAN (BALI) (C) – Pernoite em Legian.
8º dia
– LEGIAN – PRAIAS DO SUL, TEMPLO PURA LUHUR ULUWATU (C,A,J) – Passeio pelas praias do sul de Bali, visita ao Templo Pura Luhur Uluwatu e jantar em Jimbaran Bay. Pernoite em Legian.
9º dia – LEGIAN – BEDUGUL – TEMPLO ULUN DANU BRATAN – TERRAÇO DE ARROZ – FLORESTA DOS MACACOS – PURA TANAH LOT – UBUD (BALI) (C,A) – Visita à Bedugul, ao templo Ulun Danu Bratan, aos Terraços de Arroz de Jatiluwih, à Floresta dos Macacos e ao templo Pura Tanha Lot. Pernoite em Ubud
10º dia – UBUD – TEMPLO TAMPAK SIRING – MONTE BATUR – TEMPLO PURA BESAKIH – UBUD (C,A,J) – Visita à Tohpati, Mas, Celuk, Vale Pakerisan River, ao Templo Tampak Siring, Kintamani, Templo Pura Besakih e jantar em com apresentação de dança típica. Pernoite em Ubud.
11º dia – UBUD – ILHA DE GILI TRAWANGAN (LOMBOK) (C) – Pernoite na Ilha de Gili Trawangan.
12º dia – ILHA DE GILI TRAWANGAN – GILI AIR E GILI MENO (C,A) – Passeio pelas Ilhas Gili Air e Meno. Pernoite na Ilha de Gili Trawangan.
13º dia – ILHA DE GILI TRAWANGAN (C) – Pernoite na Ilha de Gili Trawangan.
14º dia – ILHA DE GILI TRAWANGAN – LEGIAN (BALI) (C) – Pernoite em Legian.
15º dia – LEGIAN (BALI) (C)

 Roteiro Detalhado

1º dia – YANGON – Chegada em Yangon, recepção e traslado ao hotel. Pernoite em Yangon.

* Yangon – Seu nome significa “cidade sem inimigo”, do yan, inimigos, e koun, livrar-se de, fugir de. É a principal porta de entrada e capital de Myanmar. Apesar de a população girar em torno de 5 milhões de habitantes, ser a maior cidade do país e o mais importante centro comercial, passa uma impressão diferente de outras capitais da Ásia de tamanho similar. Bem arborizada, exala um ar mais provençal do que de cidade internacional.

2º dia – YANGON / BAGAN (C,J) – Traslado ao aeroporto de Yangon para embarque com destino à Bagan. Chegada e saída para city tour em Bagan, com visita aos famosos templos e pagodas, incluindo Gubyaukgyi, Htilominlo e Ananda. À tarde, visita a uma loja de objetos em laca para observar o processo de produção. Veja o por do sol do topo de um dos templos. Acomodação, jantar no restaurante Amata Boutique House com apresentação de dança. Pernoite em Bagan.

* Bagan: Conhecida como a cidade das 4 milhões de pagodas, Bagan é um dos sítios arqueológicos mais ricos da Ásia. É possível encontrar mais de 2000 pagodas, templos e monastérios construídos durante a dinastia Bagan. A cidade pode ser descrita como surpreendente e encantadora, onde os visitantes experimentam a essência de Myanmar em um local ainda não afetado pelo século 21. Bagan não é só famosa pelas pagodas, mas também pelos artefatos produzidos em laca.

* Templo Gubyaukgyi: O templo foi construído em 1113 pelo filho do Rei Kyanzittha,o príncipe Rajakumar, logo após a morte de seu pai. Rajakumar era o único herdeiro do trono de Bagan, porém Kyanzittha designou seu neto Alaungsithu como herdeiro e Rajakumar renunciou seu direito.

* Templo Htilominlo: Este grande templo foi construído pelo Rei Nantaungmya em 1218. É conhecido por ser o último templo no estilo Mianmar construído em Bagan. O nome significa “Benção dos 3 Mundos”. O Rei Nantaungmya escolheu esse local para erguer o templo, pois foi onde foi coroado príncipe, escolhido entre seus 5 irmãos. A seleção para a escolha do herdeiro tinha uma tradição: um guarda-chuva branco era levantado e, para quem o guarda-chuva pendesse, seria o futuro governante.

* Templo Ananda: Foi construído em 1105 durante o reinado do rei Kyanzittha, da Dinastia Pagan. É um dos 4 templos restantes de Bagan. O templo budista abriga 4 Budas em pé, cada um de frente à um ponto cardinal (Norte, Sul, Leste e Oeste). O templo foi danificado por um terremoto em 1975, porém foi restaurado e é bem preservado atualmente.

3º dia – BAGAN – MT POPA – BAGAN (C) – Traslado (50km) até o Monte Popa, um vulcão extinto. Para quem tiver fôlego, é possível subir os 777 degraus (mas sem sapato) e visitar o templo Taung Kalat, além de monastérios, stupas e santuários. No retorno à Bagan, visita a uma vila que cultiva palmeiras para conhecer o processo de produção do açúcar de palmeira (mascavo) antes de chegar à vila de Salay onde é possível explorar alguns dos mais de 50 monastérios da vizinhança. Pernoite em Bagan.

* Monte Popa: Seu nome original é Taung Kalat (monte pedestal). Em 442 a.C. um terremoto sacudiu o centro de Myanmar e, da paisagem árida e plana de Myingyan, surgiu o Monte Popa. É possível visitar tanto o topo como a Floresta de Sândalo e os Museus e Jardim de Ervas Medicinais e avistar pássaros e borboletas.

* Templo Taung Kalat: Monastério budista localizado no topo do Monte Popa, a 737m acima do nível do mar, com 777 degraus até o topo. É conhecido como o Santuário de Espíritos (Nats) que são cultuados em Myanmar. São divididos em 37 Nats (espíritos) que são representados no local. É um grande destino de peregrinação.

SUGESTÃO: Passeio de balão em Bagan – Ao nascer do sol, aprecie de cima vistas inigualáveis com centenas de templos construídos entre os séculos 11 e 13. O passeio todo tem duração de aproximadamente 3 horas e precisa ser reservado com antecedência, pois as vagas são limitadas e costumam acabar rápido. Passeio sujeito à disponibilidade e condições climáticas. Opera somente de 01 de outubro a 31 de março. Valor: U$ 450,00 por pessoa.

4º dia – BAGAN / HEHO – LAGO INLE (C) – Em horário apropriado, traslado ao aeroporto de Bagan para embarque com destino à Heho. Chegada e traslado à Nyaung Shwe, porta de entrada do Lago Inle. Breve visita ao Monastério Shwe Yaunghwe Kyaung e traslado ao barco para navegação pelo Lago Inle. Visita a Phaung Daw Oo Pagoda, ao templo em Nga Hpe Kyaung. Haverá oportunidade de visitar um jardim flutuante e ainda observar os pescadores Intha que desenvolveram uma técnica de remar com as pernas. Chegada ao hotel, acomodação e pernoite.

* Monastério Shwe Yaunghwe Kyaung: construído todo em madeira no início do século 19. Tem curiosas janelas ovais e é decorado com mosaicos e ornamentos em ouro.

* Lago Inle: este vasto e pitoresco lago circundado pelas Montanhas Azuis está a 900m acima do nível do mar. O lago é famoso pelos Inthas (habitantes nativos do lago) que desenvolveram uma técnica única de remar com os pés.

* Pagoda Phaung Daw Oo: abriga 5 estátuas de Buddha que foram cobertas com tantas folhas de ouro que não é mais possível ver seu formato original e parecem sólidas bolas de ouro.

* Templo em Nga Hpe Kyaung: templo que abriga uma coleção de imagens de Buda.

5º dia – LAGO INLE (C) – Visita ao mercado flutuante de 5 dias, caso ele esteja em funcionamento na região, já que é rotativo. Continuação para visita ao complexo da Pagoda Inndein. Caminhada até um monastério e ruínas de centenas de antigas pagodas. O local da principal stupa tem uma vista surpreendente da região e do lago (dependendo das condições climáticas). Após almoço, visita à vila Nampan para observar a produção de charuto local e à vila Inn Paw Khone, especializada na tecelagem de seda. O dia termina com um passeio de canoa para observar a vida nas vilas flutuantes. Retorno ao hotel e pernoite.

* Pagoda Inndein: Inndein é uma das pequenas vilas do Lago Inle, localizada à margem oeste do lago. Uma imagem de Buda foi consagrada em uma stupa caiada, que fica no topo de uma colina. Abaixo da stupa e ao redor da colina há uma aglomeração de centenas de antigas stupas, em sua maioria em ruínas.

6º dia – LAGO INLE – HEHO / YANGON (C) – Traslado em barco até Nyaung Shwe e depois em carro até o aeroporto de Heho para embarque com destino à Yangon. Chegada, recepção e saída para visita à Sule Pagoda, ao mercado Bogyoke, ao Chaukhtatkyi (Buda deitado) e à Shwedagon Pagoda. Traslado ao hotel e pernoite.

* Sule Pagoda: Marca o centro da cidade e ocupa um papel importante na política, ideologia e geografia do país. De acordo com a lenda, foi construída antes da Pagoda Shwe Dagon, na era de Buda, há mais de 2.500 anos. Ainda conforme a lenda, o local da pagoda Shwe Dagon deveria ser revelado por um espírito que residia no local onde hoje é a Sule Pagoda.

* Mercado Bogyoke: Conhecido também como Scott Market, é o segundo mercado de Myanmar. Esta popularidade é compreensível, considerando as opções de produtos para a venda no mercado, como lojas de tecido e de joias.

* Chaukhtatgyi Reclining Buddha: É considerada uma das maiores imagens do Buda reclinado, com 62 metros de comprimento.

* Shwedagon Pagoda: As torres históricas têm quase 98 metros de altura. É considerada uma das maravilhas do mundo religioso e acredita-se ter sido construída há 2500 anos. É coberta com centenas de placas de ouro; o topo tem 4531 diamantes incrustados, sendo o maior com 76 quilates.

7º dia – YANGON / DENPASAR – LEGIAN (BALI) (C) – Em horário apropriado, traslado ao aeroporto para embarque com destino à Denpasar, na Indonésia (voo com conexão em Singapura). Chegada, recepção e traslado ao hotel na praia de Legian para pernoite.

* Bali: A ilha de Bali pode parecer apenas outro destino turístico popular, mas pelo contrário, é impossível não ser tocado por certa magia da “Ilha dos Deuses”. Possui aproximadamente 5.620Km² e é uma ilha predominantemente hindu. Bali é uma das 17.000 ilhas da Indonésia, integrante das Pequenas Ilhas de Sonda e encontra-se entre as ilhas de Java, a oeste, e Lombok, a leste. A capital provincial é Denpasar, região onde está localizado o aeroporto internacional de Bali, o qual leva o mesmo nome da capital. Bali foi povoada antes da Idade do Bronze, por volta de 300 a.C.. Marco Polo, um italiano, foi o primeiro europeu a chegar a Bali em 1292. Após alguns anos, os portugueses chegaram à ilha e depois os holandeses. Em 1597, ocorreu a primeira expedição holandesa que foi comandada por Cornelius Houtman, onde grande parte da tripulação recusou-se a voltar para a Holanda e passou a viver em Bali. No início do século XIII, Bali já era colônia holandesa, e substituíra os portugueses no comércio. Esta colonização ocidental não foi pacífica e houve ao longo dos anos massacres e atentados inclusive em 2005. Isso resume a grande influência europeia em Bali.

* Legian: É uma região que ocupa uma faixa de praia, sendo uma subdivisão de Kuta, assim como Seminyak (próxima praia ao norte). Legian oferece fácil acesso a lojas, bares e restaurantes, mas não é tão cheia e caótica como o centro de Kuta.

8º dia – LEGIAN – PRAIAS DO SUL, TEMPLO PURA LUHUR ULUWATU (C,A,J) – Saída cedo do hotel para um dia de passeio pelas praias do sul de Bali, como: Green Ball, Dream Land, Padang Padang e Blue Point ou Uluwatu (61Km de percurso, passando por todas essas 4 praias de carro). No final da tarde, visita ao Templo Pura Luhur Uluwatu com apresentação de dança típica Kechak Dance (18Km – aproximadamente 1 hora de carro) e para a contemplação do por do sol. Jantar será servido em Jimbaran Bay. Pernoite em Legian.

* Praias do Sul: As praias de Uluwatu, Padang Pagang, Blue Point e Green Ball são as mais belas praias de Bali (além de algumas outras também localizadas ao sul da ilha). Estão todas na Península de Bukit, no Sul de Bali, uma ao lado da outra, pedacinhos de areia incrustadas nos pés dos penhascos, com um visual incrível do mar e dos surfistas domando as ondas. Os acessos são sempre por escadarias, umas mais longas e outras menos. Assistir os surfistas é um show à parte e a melhor época para o surf é de Abril a Setembro, época de seca e que tem as maiores ondas. Em todas elas as barreiras de corais, onde quebram as ondas são distantes da praia, e assim se divide o mar: ao fundo o show dos surfistas e pertinho da praia, deliciosas piscinas naturais.

* Templo Pura Luhur Uluwatu: Um dos templos mais antigos, com origem que data do século X, e em meio a um cenário espetacular, o Templo de Uluwatu está localizado no alto de uma falésia na borda de um platô de 250 pés (aproximadamente 76m de altura), acima das ondas do Oceano Índico. Esculpido em pedra de coral negro o templo de Uluwatu tem uma das mais belas vistas para o Mar de Java. Dedicado aos espíritos do mar, o famoso Templo Pura Uluwatu Luhur é uma maravilha arquitetônica, e é um local popular para ver o por do sol. O local é também um dos kayangan jagat (ou “templos direcionais”) da região. De acordo com o hinduísmo, esses templos têm a função de proteger Bali contra os maus espíritos.
Obs: Os macacos que ficam soltos no templo são agressivos. É sempre bom evitar o contato, e tomar cuidado com óculos, câmera, bolsas, etc. Os bichos ficam todos soltos e são muitos.

9º dia – LEGIAN – BEDUGUL – TEMPLO ULUN DANU BRATAN – TERRAÇO DE ARROZ – FLORESTA DOS MACACOS – PURA TANAH LOT – UBUD (BALI) (C,A) – Saída com destino à Bedugul para visita aos mercados locais e ao templo Ulun Danu Bratan. Após almoço, continuação aos Terraços de Arroz de Jatiluwih e à Floresta dos Macacos. Finalmente, visita ao templo Pura Tanha Lot. Traslado ao hotel em Ubud para pernoite.

* Templo Ulun Danu Bratan: Localizado junto à margem ocidental do lago a 1.239m, é um dos mais pitorescos e bonitos templos em Bali. O templo é dedicado a Dewi Danu, a deusa do lago e os peregrinos vêm prestar homenagem, para garantir colheitas abundantes.

* Terraço de Arroz: O arroz em Bali é muito mais do que um simples alimento. Faz parte da cultura balinesa e há todo um ritual para o seu plantio e colheita. A plantação é feita em forma de terraço (rice terrace), para que a água flua naturalmente do topo da colina até a área inferior. O resultado é quase uma obra de arte. Jatiluwih é a região onde se localiza alguns dos arrozais mais famosos de Bali. Aproveite para conversar com os produtores e entender os detalhes do plantio do arroz, além de caminhar pelo arrozal para explorar de perto sua arquitetura diferenciada.

* Floresta dos Macacos: A Floresta dos Macacos de Ubud é uma área destinada ao culto hindu balinês e todos os aspectos do local possuem um significado sagrado, como as árvores, os templos e até mesmo os macacos. O local é também um centro de pesquisas onde os visitantes podem aprender um pouco mais sobre os macacos e algumas das 115 espécies de árvores. Propriedade da aldeia de Padangtegal, uma das comunidades de Ubud, a área também é conhecida como Floresta dos Macacos de Padangtegal. A Floresta dos Macacos é bem agradável de passear e se aventurar para ver a macacada dentro da floresta densa, cheia de riacho, figueiras de bengala, antigas termas e templos hindus.
Obs: Estes macacos não são agressivos (no templo de Uluwatu, sim!). Mas sempre é bom tomar cuidado com óculos, câmera, bolsas, etc. Os bichos ficam todos soltos e são muitos, é bem comum ver eles também por vários locais da cidade.

* Templo Pura Tanah Lot: Outro templo importante de Bali, que erige numa enorme rocha cercada pelo mar. Conta-se localmente que a obra foi feita pelo padre Nirartha no século XV, durante as suas viagens ao longo da costa sul de Bali. Chegando a região, o padre que viu o belo cenário da ilha e resolveu descansar na mesma, mais tarde em conversa com os pecadores locais disse-lhes para construírem um santuário pois sentia que aquele era um lugar santo. O templo é um dos sete templos de mar da costa de Bali e acredita-se que cobras marítimas venenosas protegem o templo de espíritos malignos e intrusos.
Obs: Apenas os adoradores da religião hindu são autorizados a entrar no templo.

* Ubud: Cidade que fica localizada no meio da Ilha de Bali. Região onde se tem muitos terraços de arroz, Ubud não é encantadora por causa de suas praias ou vida noturna, mas sim pelas artes, música, arquitetura e dança. Devido a isso, Ubud é conhecida como o centro das artes e vem atraindo e cultivando o talento artístico desde quando a família aristocrática no final do século XIX fez de Ubud sua sede. Diversos intelectuais e artistas ocidentais visitam a região desde 1930, o que acabou fornecendo um estímulo para a arte local, introduzindo novas técnicas, ideias e influências. Foi dessa forma que a cultura balinesa começou a ser promovida em todo o mundo. E mesmo a cidade tendo passado por enorme desenvolvimento, ainda é bonita e descontraída. Hoje com cerca de 30.000 pessoas, sua população se divide no centro e nos vilarejos que cercam a cidade.

10º dia – UBUD – TEMPLO TAMPAK SIRING – MONTE BATUR – TEMPLO PURA BESAKIH – UBUD (C,A,J) – Saída para passeio de dia inteiro, começando por Tohpati para ver como são criados os tecidos tradicionais pintados à mão (Batik) e continuando à Mas (esculturas em madeira) e à Celuk (joias em ouro e prata). Parada para conhecer o processo de produção do café Kopi Luwak, no Vale Pakerisan River. Continuação ao Templo Tampak Siring e à Kintamani, onde está o Monte Batur. Almoço em restaurante local com vista para o vulcão ativo, seguido de visita ao Templo Pura Besakih. Jantar em restaurante com apresentação de dança típica. Retorno ao hotel e pernoite em Ubud.

* Café Luwak: Famoso café balinês Kopi Luwak, considerado o café mais caro do mundo, a produção do Kopi Luwak é bastante peculiar. Os grãos do café são recolhidos das fezes do Luwak, um animal que vive na Indonésia. Só então é cuidadosamente lavado, secado e torrado. Dizem que as enzimas do aparelho digestivo desse animal provocam uma transformação do grão, deixando o café com um gosto especial e diferenciado. Quem quiser experimentar, há degustação no local (cortesia para café tradicional, não aplicável para o Luwak que será cobrado a parte, em torno de US$ 5 a 10 por xícara, por pessoa).

* Templo Tampak Siring: Templo onde a população local vai para se banhar nas águas que acredita-se ter propriedades de cura.

* Monte Batur: Também conhecido localmente como Gunung Batu, o vulcão está ativo até hoje e fica localizado ao lado do Lago Batur. Devido isso, é possível se ver a fumaça saindo do meio das pedras. E para quem faz o trekking ao topo do vulcão, a adrenalina aumenta ao chegar próximo da cratera.

* Templo Pura Besakhi: Conhecido também como Templo Mãe, o templo fica localizado nas encostas da montanha vulcânica “Monte Agung”, principal vulcão de Bali a leste da cidade com cerca de 1.000m. O Templo Pura Besakhi também é considerado o maior e mais sagrado templo de Bali, já que é um complexo composto de vinte e dois templos que se sentam em sulcos paralelos, templos estes dedicados às castas e à trindade hindu. Têm uma série de terraços e lances de escadarias que levam até pátios e passagens chegando à torre principal da estrutura, ou centro simbólico que se chama Pura Penataran Agung. Todo o complexo está alinhado ao longo de um eixo único, construído para conduzir o espiritual para cima e para mais perto do topo da montanha que é considerada sagrada.
Obs: Não é possível entrar na maioria dos templos do complexo (exceto quando acontece um ritual, paramentado segundo a tradição).

11º dia – UBUD – ILHA DE GILI TRAWANGAN (LOMBOK) (C) – Pela manhã, traslado à Padang Bai Harbour para embarque em “speed boat” até a Ilha de Gili Trawangan (aproximadamente 1h15), cruzando o estreito de Bali. Desembarque no píer, recepção e traslado de “Cidomo” (pequena charrete puxada por cavalos usados nas Ilhas Gili e na Ilha de Lombok) até o hotel. Restante do dia livre. Pernoite na Ilha de Gili Trawangan.

* Ilhas Gili: São 3 ilhotas paradisíacas: Gili Trawangan, Gili Meno e Gili Air. Localizam-se na costa noroeste da Ilha de Lombok e, são verdadeiramente um destino ideal para quem está em busca de uma fuga em região tropical.

* Ilha de Gili Trawangan: Mais conhecida por Gili T, é a mais agitada das 3 ilhas e também a maior. Toda a volta na Ilha dá menos de 10 km. Sem veículos motorizados (só bike e charretes), a Ilha de Gili Trawangan é dona de um mar azul, cheia de pontos de mergulho, comida boa e festa todos os dias.

12º dia – ILHA DE GILI TRAWANGAN – GILI AIR E GILI MENO (C,A) – Passeio de dia inteiro pelas Ilhas Gili vizinhas, Air e Meno, para explorar as ilhas e aproveitar os pontos de mergulho. Pernoite na Ilha de Gili Trawangan.

* Gili Air: É a mais próxima do continente e é a mais povoada das 3 ilhas.

* Gili Meno: É a menor ilha e, com apenas alguns moradores, ela tem a sensação de ser uma ilha bem mais remota do que já é.

13º dia – ILHA DE GILI TRAWANGAN (C) – Dia livre. Pernoite na Ilha de Gili Trawangan.

14º dia – ILHA DE GILI TRAWANGAN – LEGIAN (BALI) (C) – Após café da manhã, retorno de “speed boat” para Bali. Chegada e traslado ao hotel. Dia livre para atividades opcionais. Pernoite em Legian.

15º dia – LEGIAN (BALI) (C) – Em horário apropriado traslado ao aeroporto de Denpasar para embarque de retorno.

Consulte nosso atendimento para informações sobre serviços adicionais (noite extra, passeios, extensões).

Obs.: o roteiro poderá ser alterado de acordo com condições climáticas e/ou por motivos alheios a nossa vontade.

Preço por pessoa em US$:

Terrestre a partir de Yangon
Opções de acomodação Duplo Single
Conforme o roteiro – Saída de Outubro 5.980,00 7.670,00 . .
Adicional Aéreo (valor de referência)
Companhia Aérea a partir de
Cias Locais – Yangon/Heho/Bagan/Yangon (com taxas) 455,00 . . .
Singapore – Yangon/Denpasar (com taxas) 710,00 . . .
Qatar – São Paulo/Yangon e Denpasar/São Paulo (sem taxas) 2.742,00 . . .
O valor apresentado pode sofrer variação para mais ou menos dependendo de disponibilidade na reserva
  • As tarifas aéreas utilizadas para cálculo dos valores acima estão sujeitas a restrições relativas a endosso, remarcação, reembolso, validade para programas de fidelidade das cias aéreas e prazo de emissão, muitas vezes imediato, e são passíveis de variações de acordo com a política de preços da companhia aérea.
  • Preços em dólar, por pessoa válidos para a saída mencionada neste roteiro.
  • Preços sujeitos a alteração sem aviso prévio.
  • Preços calculados para saídas com mínimo de 2 pessoas. Todos os preços serão convertidos para o Real utilizando câmbio do dia do pagamento.

Formas de pagamento:

(Não aceitamos cheques de terceiros ou de pessoa jurídica; Não aceitamos cheques de contas com menos de 6 meses da abertura)

Parcelamento em cartão de crédito:
Visa, Mastercard e Amex: 30% entrada em cheque ou dinheiro + 9 parcelas iguais no cartão
*cartões devem ser de pessoa física e emitidos no Brasil.
*a primeira parcela do cartão será debitada na data da sua próxima fatura.

O pacote Inclui:

– traslados privativos compartilhados entre nossos clientes com motorista falando inglês;
– hospedagem com café da manhã;
– todos os passeios citados em serviço privativo* compartilhado entre nossos clientes com acompanhamento de guia local de língua espanhola, taxas e transporte quando necessário (*exceto “speed boat” na Indonésia em serviço regular);
– refeições mencionadas no roteiro;
– brinde exclusivo;
– seguro viagem.

Não Inclui:

– passagem aérea internacional São Paulo / Yangon + Denpasar / São Paulo e taxas de embarque (valor aproximado para voo Qatar: U$ 37,90);
– passagem aérea internacional Yangon / Denpasar e taxa de embarque;
– passagem aérea doméstica com cias locais Yangon / Heho + Heho / Bagan + Bagan / Yangon e taxas em embarque;
– visto de entrada em Myanmar – aproximadamente R$ 60,00 para tirar no Brasil;
– taxa aeroportuária em Myanmar – paga na saída do país (atualmente U$ 10,00);
– visto de entrada em Bali – U$ 35,00 a ser pago localmente;
– taxa aeroportuária para saída de Bali – U$ 18,00 a ser pago localmente;
– refeições e bebidas não mencionadas;
– despesas pessoais;
– qualquer outro item não mencionado como incluso.

Obs: Valores de vistos e taxas pagas localmente estão sujeitas a alterações sem prévio aviso.

Hospedagem:
YANGON:
4* – Kandawgyi Palace Hotel (superior) – www.kandawgyipalace-hotel.com

INLE:
4* – Amata Garden Resort (deluxe) – amatainleresort.com

BAGAN:
3.5* – Bagan Thande Hotel (deluxe ROH) – www.baganthandehotel.net

LEGIAN:
4* – Ramada Resort Camakila (deluxe) – www.ramadaresortcamakila.com

UBUD:
4* – Komaneka Resort Rasa Sayang (deluxe) – www.komaneka.com

GILI TRAWANGAN:
4* – Villa Ombak (superior lumbung terrace) – www.hotelombak.com

Horário de check-in às 14h00 e check-out às 12h00.

 Transporte:

QATAR – Trecho São Paulo/Yangon e Denpasar/São Paulo:
Ida: Guarulhos/Doha – 03h15/22h45; Doha/Bangkok – 01h25/11h35; Bangkok/Yangon – 13h40/14h30
Volta: Denpasar/Doha – 19h35/23h59; Doha/Guarulhos – 08h25/16h40
*Franquia: 02 bagagens com 32 Kg cada uma por pessoa, além de 01 mala de mão com 7Kg.

SINGAPORE – Trecho Yangon/Denpasar:
Ida: Yangon/Cingapura – 10h35/15h10; Cingapura/Denpasar – 16h25/19h10
*Franquia: 01 bagagem com 30Kg por pessoa, além de 01 mala de mão com 7Kg.

Trechos aéreos domésticos com Cias locais em horários a confirmar no ato da sua reserva:
*Franquia: 01 bagagem com 20 Kg por pessoa, além de 01 mala de mão com 5Kg.

Guias:
Acompanhamento de guia brasileiro a partir de Yangon para grupo a partir de 6 pessoas.

Condições Gerais:
Para efetuação da reserva é necessário: cópia LEGÍVEL E COLORIDA, do documento exigido pelo destino (passaporte) devidamente válido. Esse mesmo documento deve ser levado em sua viagem.

Informações Úteis:
Documentos necessários para embarque: Passaporte com validade mínima de 6 meses contados a partir da data de chegada no país, com mínimo de 3 folhas em branco, lado a lado (ainda assim alguns países exigem um maior número de folhas em branco).
Vacinas necessárias: É obrigatória a apresentação do cartão de vacinação internacional contra a febre amarela. A vacina deve ser tomada com pelo menos 10 dias de antecedência da data de saída da viagem. Para quem viaja para áreas com incidência de malária, recomendamos solicitar medicação profilática ao seu médico. Como as vacinas podem causar reações, consulte o seu médico antes de se vacinar.
Vistos:
Myanmar – É obrigatória a obtenção de visto o Myanmar. Informe-se sobre o procedimento para a obtenção do visto no site do consulado: www.myanmarbsb.org ou com nossos consultores (valor aproximado R$60,00).
Indonésia – Brasileiros precisam de visto para visitar a Indonésia. O visto de entrada que pode ser obtido na chegada ao país ou antecipadamente no Brasil (com no mínimo 10 dias úteis de antecedência). Na chegada ao aeroporto do país será necessário apresentação do passaporte + pagamento da taxa de US$ 35,00 (valor aproximado). Para mais informações acesse o site: www.embaixadadaindonesia.org
*** Não nos responsabilizamos pela obtenção do visto. A autorização ou não autorização para entrada no país é determinada pelos órgãos responsáveis, ficando a critério dos mesmos a aceitação ou não da sua documentação.

Seguro:

Seguro Saúde/Viagem da Intermac Assistance, plano Green, durante o período da viagem, conforme coberturas abaixo (consultas e serviços prestados por hospitais e empresas não conveniadas, deverão ser pagas pelo cliente, que de posse de documentação original, deverá solicitar reembolso posterior): Até US$ 50.000,00 para assistência médica por acidente por evento; Até US$ 50.000,00 para assistência médica por enfermidade por evento; Até US$ 700,00 para assistência médica por enfermidade pré-existente; Até US$ 700,00 para assistência médica para prática de esporte de risco; Até US$ 700,00 para assistência odontológica; Até US$ 700,00 para assistência farmacêutica por evento; Até US$ 500,00 para fisioterapia (prescrição médica); 5 x US$ 100,00 para hospedagem de membro da família (até 5 dias) e TKT aéreo; 5 x US$ 100,00 para convalescença em hotel (até 5 dias); 10 dias para extensão de internação hospitalar; Inclui repatriação sanitária; Inclui repatriação funerária (no limite dos gastos médicos); Sim, para garantia de viagem de regresso; Sim, para regresso de menor desacompanhado; Até US$ 250,00 para compensação por demora de bagagem extraviada; Sim, assistência na localização de bagagem; Até US$ 1.000,00 para seguro de bagagem extraviada; Sim, para transmissão de mensagens urgentes; Até US$ 150,00 para gastos por atraso ou cancelamento de voo; Até US$ 1.000,00 para cancelamento de viagem (titular); Até US$ 1.000,00 para assistência jurídica; Até US$ 10.000,00 para auxilio de fiança judicial; Sim, para traslado de executivos; Até R$ 50.000,00 para seguro por morte acidental; Sim, para seguro de invalidez permanente por acidente (cálculo susep). * Limite de idade: A partir de 71 anos acréscimo de 50% nas tarifas e redução de 50% nas coberturas. Se você preferir um plano com maiores coberturas solicite ao nosso atendimento valores para troca de plano. * O seguro não pode ser emitido com período parcial. É obrigatório que a cobertura seja para o período completo da viagem, desde sua data de embarque até a data de sua chegada. Além disso o mesmo só é válido com saída e retorno ao Brasil.